Todo o dia é o dia de começar, continuar, recomeçar e se dar uma nova chance. Estar na presença de Deus é tudo na vida de uma pessoa e ler a sua Palavra Sagrada pode fazer a diferença entre vencer e perder. Faça a sua escolha e seja um VENCEDOR EM CRISTO JESUS. LEIA A BÍBLIA A PARTIR DE AGORA!

sábado, 8 de março de 2014

Leitura Bíblica 67º dia



Números 10   

1         FALOU mais o Senhor a Moisés, dizendo:

2         Faze-te duas trombetas de prata; de obra batida as farás, e elas te servirão para a convocação da congregação, e para a partida dos arraiais.

3         E, quando as tocarem, então toda a congregação se reunirá a ti à porta da tenda da congregação.

4         Mas, quando tocar uma só, então a ti se congregarão os príncipes, os cabeças dos milhares de Israel.

5         Quando, retinindo, as tocardes, então partirão os arraiais que estão acampados do lado do oriente.

6         Mas, quando a segunda vez retinindo, as tocardes, então partirão os arraiais que estão acampados do lado do sul; retinindo, as tocarão para as suas partidas.

7         Porém, ajuntando a congregação, as tocareis; mas sem retinir.

8         E os filhos de Arão, sacerdotes, tocarão as trombetas; e a vós serão por estatuto perpétuo nas vossas gerações.

9         E, quando na vossa terra sairdes a pelejar contra o inimigo, que vos oprime, também tocareis as trombetas retinindo, e perante o Senhor vosso Deus haverá lembrança de vós, e sereis salvos de vossos inimigos.

10       Semelhantemente, no dia da vossa alegria e nas vossas solenidades, e nos princípios de vossos meses, também tocareis as trombetas sobre os vossos holocaustos, sobre os vossos sacrifícios pacíficos, e vos serão por memorial perante vosso Deus: Eu sou o Senhor vosso Deus.

11       E aconteceu, no ano segundo, no segundo mês, aos vinte do mês, que a nuvem se alçou de sobre o tabernáculo da congregação.

12       E os filhos de Israel, segundo a ordem de marcha, partiram do deserto de Sinai; e a nuvem parou no deserto de Parã.

13       Assim partiram pela primeira vez segundo a ordem do Senhor, por intermédio de Moisés.

14       Porque primeiramente partiu a bandeira do arraial dos filhos de Judá segundo os seus exércitos; e sobre o seu exército estava Naassom, filho de Aminadabe.

15       E sobre o exército da tribo dos filhos de Issacar, Natanael, filho de Zuar.

16       E sobre o exército da tribo dos filhos de Zebulom, Eliabe, filho de Helom.

17       Então desarmaram o tabernáculo, e os filhos de Gérson e os filhos de Merari partiram, levando o tabernáculo.

18       Depois partiu a bandeira do arraial de Rúben segundo os seus exércitos; e sobre o seu exército estava Elizur, filho de Sedeur.

19       E sobre o exército da tribo dos filhos de Simeão, Selumiel, filho de Zurisadai.

20       E sobre o exército da tribo dos filhos de Gade, Eliasafe, filho de Deuel.

21       Então partiram os coatitas, levando o santuário; e os outros levantaram o tabernáculo, enquanto estes vinham.

22       Depois partiu a bandeira do arraial dos filhos de Efraim segundo os seus exércitos; e sobre o seu exército estava Elisama, filho de Amiúde.

23       E sobre o exército da tribo dos filhos de Manassés, Gamaliel, filho de Pedazur.

24       E sobre o exército da tribo dos filhos de Benjamim, Abidã, filho de Gideoni.

25       Então partiu a bandeira do arraial dos filhos de Dã, fechando todos os arraiais segundo os seus exércitos; e sobre o seu exército estava Aieser, filho de Amisadai.

26       E sobre o exército da tribo dos filhos de Aser, Pagiel, filho de Ocrã.

27       E sobre o exército da tribo dos filhos de Naftali, Aira, filho de Enã.

28       Esta era a ordem das partidas dos filhos de Israel segundo os seus exércitos, quando partiam.

29       Disse então Moisés a Hobabe, filho de Reuel, o midianita, sogro de Moisés: Nós caminhamos para aquele lugar, de que o Senhor disse: Vô-lo darei; vai conosco e te faremos bem; porque o Senhor falou bem sobre Israel.

30       Porém ele lhe disse: Não irei; antes irei à minha terra e à minha parentela.

31       E ele disse: Ora, não nos deixes; porque tu sabes onde devemos acampar no deserto; nos servirás de guia.

32       E será que, vindo tu conosco, e sucedendo o bem que o Senhor nos fizer, também nós te faremos bem.

33       Assim partiram do monte do Senhor caminho de três dias; e a arca da aliança do Senhor caminhou diante deles caminho de três dias, para lhes buscar lugar de descanso.

34       E a nuvem do Senhor ia sobre eles de dia, quando partiam do arraial.

35       Acontecia que, partindo a arca, Moisés dizia: Levanta-te, Senhor, e dissipados sejam os teus inimigos, e fujam diante de ti os odiadores.

36       E, pousando ela, dizia: Volta, ó Senhor, para os muitos milhares de Israel.

Números 11.1-23

  1       E ACONTECEU que, queixou-se o povo falando o que era mal aos ouvidos do Senhor; e ouvindo o Senhor a sua ira se acendeu; e o fogo do Senhor ardeu entre eles e consumiu os que estavam na última parte do arraial.

2         Então o povo clamou a Moisés, e Moisés orou ao Senhor, e o fogo se apagou.

3         Pelo que chamou aquele lugar Taberá, porquanto o fogo do Senhor se acendera entre eles.

4         E o vulgo, que estava no meio deles, veio a ter grande desejo; pelo que os filhos de Israel tornaram a chorar, e disseram: Quem nos dará carne a comer?

5         Lembramo-nos dos peixes que no Egito comíamos de graça; e dos pepinos, e dos melões, e dos porros, e das cebolas, e dos alhos.

6         Mas agora a nossa alma se seca; coisa nenhuma há senão este maná diante dos nossos olhos.

7         E era o maná como semente de coentro, e a sua cor como a cor de bdélio.

8         Espalhava-se o povo e o colhia, e em moinhos o moía, ou num gral o pisava, e em panelas o cozia, e dele fazia bolos; e o seu sabor era como o sabor de azeite fresco.

9         E, quando o orvalho descia de noite sobre o arraial, o maná descia sobre ele.

10       Então Moisés ouviu chorar o povo pelas suas famílias, cada qual à porta da sua tenda; e a ira do Senhor grandemente se acendeu, e pareceu mal aos olhos de Moisés.

11       E disse Moisés ao Senhor: Por que fizeste mal a teu servo, e por que não achei graça aos teus olhos, visto que puseste sobre mim o cargo de todo este povo?

12       Concebi eu porventura todo este povo? Dei-o eu à luz? para que me dissesses: leva-o ao teu colo, como a ama leva a criança que mama, à terra que juraste a seus pais?

13       De onde teria eu carne para dar a todo este povo? Porquanto contra mim choram, dizendo: Dá-nos carne a comer;

14       Eu só não posso levar a todo este povo, porque muito pesado é para mim.

15       E se assim fazes comigo, mata-me, peço-te, se tenho achado graça aos teus olhos, e não me deixes ver o meu mal.

16       E disse o Senhor a Moisés: Ajunta-me setenta homens dos anciãos de Israel, que sabes serem anciãos do povo e seus oficiais; e os trarás perante a tenda da congregação, e ali estejam contigo.

17       Então eu descerei e ali falarei contigo, e tirarei do espírito que está sobre ti, e o porei sobre eles; e contigo levarão a carga do povo, para que tu não a leves sozinho.

18       E dirás ao povo: Santificai-vos para amanhã, e comereis carne; porquanto chorastes aos ouvidos do Senhor, dizendo: Quem nos dará carne a comer? Pois íamos bem no Egito; por isso o Senhor vos dará carne, e comereis;

19       Não comereis um dia, nem dois dias, nem cinco dias, nem dez dias, nem vinte dias;

20       Mas um mês inteiro, até vos sair pelas narinas, até que vos enfastieis dela; porquanto rejeitastes ao Senhor, que está no meio de vós, e chorastes diante dele, dizendo: Por que saímos do Egito?

21       E disse Moisés: Seiscentos mil homens de pé é este povo, no meio do qual estou; e tu tens dito: Dar-lhes-ei carne, e comerão um mês inteiro.

22       Degolar-se-ão para eles ovelhas e vacas que lhes bastem? Ou ajuntar-se-ão para eles todos os peixes do mar, que lhes bastem?

23       Porém, o Senhor disse a Moisés: Teria sido encurtada a mão do Senhor? Agora verás se a minha palavra se há de cumprir ou não.

Marcos 14.1-21

1         E DALI a dois dias era a páscoa, e a festa dos pães ázimos; e os principais dos sacerdotes e os escribas buscavam como o prenderiam com dolo, e o matariam.

2         Mas eles diziam: Não na festa, para que porventura não se faça alvoroço entre o povo.

3         E, estando ele em Betânia, assentado à mesa, em casa de Simão, o leproso, veio uma mulher, que trazia um vaso de alabastro, com ungüento de nardo puro, de muito preço, e quebrando o vaso, lho derramou sobre a cabeça.

4         E alguns houve que em si mesmos se indignaram, e disseram: Para que se fez este desperdício de ungüento?

5         Porque podia vender-se por mais de trezentos dinheiros, e dá-lo aos pobres. E bramavam contra ela.

6         Jesus, porém, disse: Deixai-a, por que a molestais? Ela fez-me boa obra.

7         Porque sempre tendes os pobres convosco, e podeis fazer-lhes bem, quando quiserdes; mas a mim nem sempre me tendes.

8         Esta fez o que podia; antecipou-se a ungir o meu corpo para a sepultura.

9         Em verdade vos digo que, em todas as partes do mundo onde este evangelho for pregado, também o que ela fez será contado para sua memória.

10       E Judas Iscariotes, um dos doze, foi ter com os principais dos sacerdotes para lho entregar.

11       E eles, ouvindo-o, folgaram, e prometeram dar-lhe dinheiro; e buscava como o entregaria em ocasião oportuna.

12       E, no primeiro dia dos pães ázimos, quando sacrificavam a páscoa, disseram-lhe os discípulos: Aonde queres que vamos fazer os preparativos para comer a páscoa?

13       E enviou dois dos seus discípulos, e disse-lhes: Ide à cidade, e um homem, que leva um cântaro de água, vos encontrará; segui-o.

14       E, onde quer que entrar, dizei ao senhor da casa: O Mestre diz: Onde está o aposento em que hei de comer a páscoa com os meus discípulos?

15       E ele vos mostrará um grande cenáculo mobilado e preparado; preparai-a ali.

16       E, saindo os seus discípulos, foram à cidade, e acharam como lhes tinha dito, e prepararam a páscoa.

17       E, chegada a tarde, foi com os doze.

18       E, quando estavam assentados a comer, disse Jesus: Em verdade vos digo que um de vós, que comigo come, há de trair-me.

19       E eles começaram a entristecer-se e a dizer-lhe um após outro: Sou eu? E outro disse: Sou eu?

20       Mas ele, respondendo, disse-lhes: É um dos doze, que põe comigo a mão no prato.

21       Na verdade o Filho do homem vai, como dele está escrito, mas ai daquele homem por quem o Filho do homem é traído! Bom seria para o tal homem não haver nascido.

Salmos 51
 1         TEM misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias.

2         Lava-me completamente da minha iniqüidade, e purifica-me do meu pecado.

3         Porque eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim.

4         Contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que é mal à tua vista, para que sejas justificado quando falares, e puro quando julgares.

5         Eis que em iniqüidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe.

6         Eis que amas a verdade no íntimo, e no oculto me fazes conhecer a sabedoria.

7         Purifica-me com hissope, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais branco do que a neve.

8         Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que gozem os ossos que tu quebraste.

9         Esconde a tua face dos meus pecados, e apaga todas as minhas iniqüidades.

10       Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto.

11       Não me lances fora da tua presença, e não retires de mim o teu Espírito Santo.

12       Torna a dar-me a alegria da tua salvação, e sustém-me com um espírito voluntário.

13       Então ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e os pecadores a ti se converterão.

14       Livra-me dos crimes de sangue, ó Deus, Deus da minha salvação, e a minha língua louvará altamente a tua justiça.

15       Abre, Senhor, os meus lábios, e a minha boca entoará o teu louvor.

16       Pois não desejas sacrifícios, senão eu os daria; tu não te deleitas em holocaustos.

17       Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus.

18       Faze o bem a Sião, segundo a tua boa vontade; edifica os muros de Jerusalém.

19       Então te agradarás dos sacrifícios de justiça, dos holocaustos e das ofertas queimadas; então se oferecerão novilhos sobre o teu altar.

Provérbios 10.31-32
 31       A boca do justo jorra sabedoria, mas a língua da perversidade será cortada.

32       Os lábios do justo sabem o que agrada, mas a boca dos perversos, só perversidades.

Um comentário: